25 de fevereiro de 2012

Dois



Sempre achei o 2 um número muito simpático.
E, de repente, ele se me apresenta assim, como que pronto, perfeito, com todos os seus arabescos e vãos e desvãos que convidam à perdição sublime do infinito.
Coração virou adolescente bêbada. Quer voar solto, "viajar com os passarinhos, cantar uma canção com o sabiá". Quer que o marimbondo venha fazer sua casa debaixo da minha asa. 
Deliciosa tentação do eu de se misturar de vez com o tu...
Será que já somos, ou simplesmente fomos? Será que já éramos? Teríamos sido?
Ou serei simplesmente eu, aprendendo a lidar com a gratidão?
Vou respirar muito profunda e calmamente, e que seja o que é. Todas as portas já estão abertas.

2 comentários:

Dalila Realino disse...

Lindamente abertas!
(:

Letícia Osório disse...

Abertas, sempre abertas, para ser mais de um, ser completo!